PARADIGMA

PARADIGMA
 
O Paradigma da existência é uma pergunta muito simples:
Qual a relação de separação e de união entre o observador e o observado?
A arte, a ciência, a religião e qualquer meio de conhecimento apenas existem porque esta dúvida ou experiência se perpetua na consciência desde que o universo é tempo, que a fotografia é espaço, ou será que o universo é apenas uma fotografia na nossa consciência e o vídeo é um dos sonhos da eternidade?
Poderíamos pensar infinitos paradoxos que estão propostos nestas imagens. Quem cria a imagem, o artista, a natureza, a máquina ou o espectador que a vê neste agora? Como é possível a maré que durou seis horas na paisagem, que engoliu o artista, se transformar em seis segundos de fotografias que engoliram a maré, perpetuando a criação num mar de pensamentos dentro das pessoas?
Mesmo que o trabalho pareça um auto-retrato, para mim não era retrato nenhum, era apenas estar querendo recriar a linguagem da vida naquele único momento, para quem estava olhando da praia era uma performance, para a máquina era luz, para a fotografia era um documento, para o vídeo pode ser a possibilidade de reverter conceitos contemporâneos em liberdade.
Então vamos a derradeira pergunta – A separação ou a união entre os seres é apenas um ponto de vista?
 
ASSISTIR VÍDEO
 
Fotografia
Tamanhos variáveis
Impressão de tinta mineral em papel de algodão
2013